O Fórum das Locadoras 2021, que aconteceu entre os dias 19 e 21 de outubro, reuniu empresários e profissionais do setor para debater “a nova era do aluguel de veículos”. O evento, que é promovido anualmente pela Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), aconteceu de maneira virtual. 

A LOC1 acompanhou as palestras e debates, visando entender os movimentos do mercado de locação. Como fizemos no ano passado, vamos apontar neste artigo os principais tópicos do evento.

Nossa ideia é que você fique por dentro das tendências trazidas pelos palestrantes de uma maneira rápida e prática. 

Acompanhe!

Impactos da pandemia e um olhar para o futuro

No primeiro dia foram debatidos os impactos da pandemia de COVID-19 no setor e apontadas as oportunidades do “novo normal”. Os palestrantes trataram dos novos comportamentos dos consumidores e também das novas tecnologias, como os carros conectados, entre outros aspectos.

Além disso, foram lançados olhares sobre os próximos eventos nacionais (retomada do turismo, eleições etc.) e suas reverberações no mercado de locação de veículos. 

→ Resumo do primeiro dia:

  • Chris Brown, editor executivo da Bobit Business Media, mostrou como a falta de veículos novos está impactando as empresas do mercado Rental nos EUA.
  • Joaquim Robalo, Secretário-Geral da Associação Portuguesa das Locadoras, falou sobre o setor na Europa. O executivo destacou as pressões sobre as tarifas do aluguel de carros, pois os preços dos veículos 0km também subiram com a queda de produção durante a pandemia.
  • Marco Aurélio Nazaré, o vice-presidente da ABLA falou sobre as PMEs de locação e sua importância no desenvolvimento sadio do setor. E chamou a atenção para a união dos empresários através das entidades setoriais — “somar forças principalmente em períodos de crise”.
  • Agnaldo Prado, diretor comercial da Bradesco Financiamentos, tratou das projeções econômicas para 2022 (crescimento do PIB, inflação, juros e taxa de câmbio) e também da busca por financiamento pelas empresas de locação.
  • Ricardo Bacellar e Camilo Adas, da SAE Brasil, debateram as mudanças de comportamentos dos clientes em relação ao uso dos veículos. Destacaram o compartilhamento de automóveis e o equilíbrio da relação montadoras-locadoras-concessionárias.
  • João Marcelo Barros, da Wings, mostrou como a transformação de carros em verdadeiras plataformas digitais está alavancando os lucros das locadoras.  

Carro como serviço 

No segundo dia do Fórum das Locadoras 2021, um grande destaque foi a tendência do carro como serviço, modalidade de negócio que foi acelerada pela pandemia. 

A partir das novas necessidades surgidas com a crise econômica, o aluguel de automóveis passou a ser mais bem aceito pelos clientes das locadoras, conforme pontuaram os participantes do painel “O futuro do ecossistema de mobilidade” conduzido pela Easy Carros. 

Além disso, a maioria dos painéis versaram sobre a influência da tecnologia no desenvolvimento do setor (segurança, conectividade, propulsão, manutenção etc.).

Alguns pontos que merecem atenção dos profissionais do segmento foram levantados pelos debatedores:

  • no Brasil, 60% dos motoristas de aplicativo já alugam seus carros;
  • 20% da produção nacional de veículos atende as frotas das empresas de locação;
  • faltam carros no mercado, portanto, este é um ativo importante;
  • a gestão da manutenção é prioridade neste momento;
  • a gestão da frota requer mais cuidado e profissionalismo.

→ Leia também: A era do “as a service” chegou ao mercado de locação!

Desafios da crise e necessidade de inovação

O terceiro e último dia do Fórum das Locadoras 2021 foi marcado por debates e palestras sobre a importância de o setor de locação de automóveis valorizar a inovação.

→ Resumo do terceiro dia: 

  • Guilherme Dietze, da  FecomercioSP, falou sobre a inflação e seus impactos nas locadoras. Ele lembrou que 2022 será um ano eleitoral e que será bastante desafiador em termos inflacionários e de aumento de custos para todos os setores da economia.
  • Idelbrando Gozzo, da  Multiassist Seguros apontou a tendência da assistência 24 horas, em função do aumento da idade média dos veículos do setor. A queda na produção das montadoras, destaca o executivo, deve estender ainda mais a permanência dos carros nas frotas das locadoras.
  • André Ricardo, da Solution4Fleet, lembrou que as empresas de aluguel de carros devem investir em soluções para mitigar riscos de inadimplência, entre outros. 
  • Jefferson Fernandes, da Ticket Log, também falou sobre as consequências da desaceleração da economia para as locadoras. Ele pontuou a automatização e redução do custo operacional como fundamentais para manter lucros. 
  • Eduardo Albuquerque, da Conquer, palestrou sobre o desafio de entender o mundo pós-crise. Para ele, as locadoras devem entender mudanças comportamentais trazidas pela pandemia e, com isso, traçar novas estratégias.
  • Thiago Gaspar, da B3, falou sobre como combater e reduzir os riscos de perda de veículos em função da apropriação indébita, dificultando que criminosos consigam vender os carros a terceiros.
  • Grasiano Gandini, da Renault On Demand, relatou como a montadora se preparou tecnologicamente para ingressar no mercado de aluguel de carros de longa duração para pessoas físicas (carro por assinatura).

Em suma, o Fórum das Locadoras 2021 reuniu especialistas do ramo da locação de automóveis e uma série de representantes de instituições e empresas que fazem parte do ecossistema deste mercado. 

Preocupações com o momento econômico do país foram demonstradas ao mesmo tempo em que visões de médio e longo prazo trouxeram ânimo aos empreendedores e profissionais do segmento. 

Para 2022, a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) espera que o evento volte a ser realizado presencialmente.