A gestão de ativos é uma atividade que ajuda as empresas de locação a manter suas máquinas e equipamentos em perfeito estado. Sem esse cuidado, o desempenho dos ativos começará a diminuir e pode ocorrer perda de qualidade.

No mercado de hoje, nenhuma locadora pode suportar erros, pois eles interferem diretamente na competitividade dos negócios. É por isso que o gerenciamento de ativos deve ser implementado e estar sempre em evolução.

Vamos refletir um pouco sobre isso? 

Continue lendo!

O que exatamente é gerenciamento de ativos?

A gestão de ativos é uma abordagem sistemática para garantir o controle estratégico de máquinas, equipamentos, dispositivos etc.

O grande objetivo da gestão de ativos é prolongar a vida útil dos ativos e mantê-los em boas condições. Outro propósito importante é gerenciar melhor o ciclo de vida dos ativos, desde a aquisição até o descarte.

Tornar os ativos eficientes é importante porque os ativos agregam valor à locadora, mantém a qualidade no atendimento às necessidades dos clientes, eleva a competitividade, entre outros motivos.

Em suma, dizemos que uma locadora faz uma boa gestão de ativos quando ela tem controle total de seu estoque, determina cronogramas de manutenção, tem facilidade para localizar os itens etc. 

Por que a gestão de ativos é importante para sua locadora?

Para compreender por que a gestão de ativos físicos é significativa, você precisa ver como os ativos são utilizados no negócio e como aprimorá-los para capitalizá-los antes de serem desativados.

O estoque deve ser visto para garantir que não cumpra seu prazo de usabilidade realista antes de ser vendido. Os equipamentos devem ser mantidos e ajustados (sempre que necessário) para evitar quebras.

Na prática, a gestão de ativos utiliza procedimentos e ciclos que destacam a prevenção desses resultados concebíveis, ao mesmo tempo que ajuda a locadora a reduzir o custo total de posse.

Em suma, é um ciclo administrativo moderno que deve ser realizado de forma consistente e, de preferência, com auxílio da tecnologia.

Quais são as melhores práticas de gerenciamento de ativos físicos?

Embora as práticas de gestão de ativos mudem de uma locadora para outra, algumas práticas são comuns a todas. Confira, a seguir, quais são elas e por que você deve implementá-las!

1. Utilizar software de gestão de locadora

A necessidade mais básica é utilizar um software de gestão que ajude no controle de todos os tipos de ativos. De preferência, essa solução deve integrar outros processos do negócio, centralizando tudo em um único ambiente tecnológico.

Com isso, os esforços de administração de ativos se tornam automatizados, produtivos e livres de erros e retrabalhos.  

Conheça agora o LOC1 | Máquinas e Equipamentos

2. Acompanhar os ativos

Quantos ativos você tem? Onde eles estão localizados? Quem os está usando? Esses tipos de informações são essenciais para manter o controle (evitar roubos, extravios, quebras etc.)

3. Fornecer manutenção regular

Quando você tem muitos ativos, mantê-los operantes é fundamental. A manutenção é um dos principais aspectos (preventiva e reparativa).

Isso porque os equipamentos não podem quebrar e nem perder desempenho. Do contrário, a concorrência ganha pontos e a competitividade da locadora começa a cair. 

4. Trabalhar a melhoria do desempenho da equipe

O componente humano não pode ser ignorado também na questão da gestão de ativos da locadora. Por isso, é importante capacitar a equipe e fornecer ferramentas e técnicas para a melhoria contínua.

Isso visa a produtividade, mas também o cuidado com os ativos. Dessa forma, ganha-se aumento de competitividade e mantém-se os equipamentos em bom estado, operantes e gerando lucros.

5. Tomar decisões baseadas em dados

Não é mais possível tomar decisões com base em suposições. Cada vez mais, é importante que você colete dados de todos os aspectos da sua locadora: eles são cruciais para o crescimento do negócio.

Os dados são a chave para o crescimento, acompanhamento de tendências e assim por diante. Mesmo quando você conhece o negócio de dentro para fora, a assistência aos dados deve ser tomada durante a tomada de decisões comerciais cruciais.

Na gestão de ativos não é diferente: as decisões devem ser tomadas a partir de informações bem processadas e analisadas!

O que você achou das nossas dicas de boas práticas de gestão de ativos? Deixe seu comentário!