As máquinas sempre foram importantes para o funcionamento de negócios industriais e seu preço cresce regularmente. Logo, para muitas organizações a aquisição e a manutenção acaba se tornando cara. É por isso que o mercado de locação desses ativos está em alta.

Nenhuma empresa não pode usar máquinas e equipamentos e simplesmente jogar fora quando eles dão problema. O mesmo acontece com as locadoras, que precisam ter uma boa gestão de manutenção.

Neste blog, vamos refletir justamente sobre isso. Continue lendo para ver dicas de gestão de manutenção de máquinas e equipamentos para elevar a vida útil dos ativos da sua locadora!

Manutenção de emergência: por que ela não deve ser a base da estratégia da sua locadora?

Nessa manutenção, os ativos críticos recebem manutenção após serem quebrados. Ou seja, é um tipo de ação reativa, que pode cara dependendo da falha encontrada.

A manutenção de emergência também é conhecida como manutenção de avarias. Quando ocorre uma falha repentina do ativo, ela é utilizada, levando à paralisação do trabalho e prejudicando a produtividade dos funcionários.

Dessa forma, fica óbvio que uma locadora de máquinas e equipamentos que preza pela qualidade e segurança de seus clientes não deve atuar apenas com a manutenção de emergência. Ela deve ser a exceção da estratégia de manutenção dos ativos, sob o risco de gerar sérios problemas, processos judiciais, multas e indenizações.  

Quantos tipos de estratégias de manutenção são mais recomendados?

Existem muitos tipos diferentes de estratégias de manutenção. Os mais indicados são os que discutimos a seguir.

Manutenção Preventiva

Sem dúvida, a manutenção preventiva é um componente significativo do procedimento de manutenção. É um aspecto vital para minimizar os custos, bem como minimizar o tempo de inatividade. Também pode ajudar na criação de um ambiente seguro para os clientes, expectativa de vida dos ativos e sua produtividade. 

Um plano de manutenção preventiva decente inclui manter registros de inspeção e manutenção.

A manutenção preventiva faz alusão à manutenção programada de rotina e regular para auxiliar o funcionamento do equipamento, evitando qualquer falha do ativo (esperada ou inesperada). 

No mundo ideal, a manutenção preventiva deve ser programada em tempo hábil ou com base no uso. Entenda essas duas abordagens:

  • Manutenção com base no tempo: programada de acordo com o horário, como diária, semanal, mensal, etc.
  • Manutenção com base no uso:  programada de acordo com o uso do equipamento. Por exemplo, a cada seis meses é necessário revisar os componentes de uma empilhadeira. 

Manutenção baseada na condição

Na manutenção baseada em condições, é necessário “adivinhar”. Nesse cálculo, o risco é assumido e, assim como o uso da manutenção preventiva do equipamento e a frequência de uso.

Além disso, os dados anteriores também são usados. Uma inspeção detalhada do ativo é feita.

Em alguns casos, a manutenção baseada na condição é mais eficaz do que a manutenção preventiva e preditiva. Nesta estratégia de manutenção, apenas as peças que estão prestes a falhar são alteradas, de forma que despesas desnecessárias são economizadas.

Logo, é preciso contar com um técnico de manutenção altamente qualificado e que tenha um bom conhecimento das máquinas e equipamentos que a locadora fornece para que o risco calculado seja o mais preciso possível.

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva monitora ativos e detecta sinais de falha ou qualquer tipo de problema — para que se possa utilizar ativos e evitar percalços antes que ocorram. Esta é uma das técnicas de manutenção de baixo custo.

Um dos maiores desafios da manutenção preditiva é a necessidade de um técnico de manutenção altamente qualificado e experiente. Para que ele possa usar dados e análises para um melhor entendimento do ativo.

Além disso, a manutenção preditiva aumenta a vida útil do ativo, a produtividade e minimiza as chances de avaria e aumenta o retorno sobre o investimento (ROI). No longo prazo, as despesas de manutenção diminuem.

Leia também: Relatórios de manutenção: por que eles são essenciais para locadoras? 

Conclusão

A boa gestão de manutenção é aquela em que as organizações não contam com apenas uma estratégia única. Deve-se contar com abordagens distintas em distintos casos, mas uma coisa é certa: contar apenas com reparos de emergência, definitivamente, não é a melhor escolha.

A boa notícia é que fazer a gestão de manutenção está cada vez mais fácil para as locadoras, sobretudo para aquelas que apoiam suas rotinas na tecnologia. 

Um bom sistema de gestão de locadoras de máquinas e equipamentos conta com recursos que ajudam a sistematizar a manutenção de ativos, primar pela qualidade e pelo controle de custos. 

Você já conhece o LOC1 | Máquinas e Equipamentos? Ele é o sistema ideal para elevar a gestão de manutenção da sua locadora, pois indica as melhores práticas e centraliza tudo em um único ambiente tecnológico. Confira, no vídeo a seguir, uma rápida explicação: