Empresas de locação de veículos ou de máquinas e equipamentos, assim como de outros tipos de negócios, são afetadas por flutuações na demanda. Dentro disso, ser capaz de antecipar e lidar com essa realidade é a chave para o sucesso.

Obviamente, o tamanho de uma empresa tem um impacto direto em sua capacidade de se adaptar às mudanças sazonais. Mas, isso não significa que médias e pequenas não sejam capazes de lidar com picos de demanda e sustentar resultados financeiros.

Sobre isso queremos lhe ajudar a refletir ao longo deste artigo.

Continue lendo para ver como sua locadora de veículos pode ser ágil e se adaptar às sazonalidades e flutuações do mercado!

Os desafios sazonais no mercado de locação de veículos

Para a maioria das locadoras, fora dos contratos fixos de longo prazo, pode ser difícil prever quantos veículos ou equipamentos serão necessários, pois novos negócios podem surgir a qualquer momento. 

O problema que isso cria é que nem todas têm uma frota de tamanho perfeito ou dispõem de um grande estoque de maquinário para lidar com fluxos repentinos de novos negócios. Muitas vezes, as locadoras podem se deparar com uma escassez ou excesso de ativos em determinados períodos.

Por isso, é importante traçar planejamentos que consideram períodos sazonais, dentro da realidade de cada locadora — da região em que está localizada, do tipo de cliente que atende, de seu histórico de altas e baixas na demanda, entre outras questões.

A necessidade de flexibilidade

A grande maioria das empresas está sempre atenta à expansão, mas para muitas isso pode ser sufocado por estarem vinculadas a contratos que exigem que uma determinada quantidade de serviço seja fornecida durante um determinado período de tempo.

No caso das locadoras, a atenção à flexibilidade contratual é uma forma de lidar com períodos sazonais. 

Por exemplo, em momentos em que há mais procura por veículos para alugar, ter as unidades disponíveis pode ser mais vantajoso do que comprometer toda a frota em longos contratos. Inclusive porque os momentos de altas demandas podem ser mais lucrativos.

O mesmo acontece com locadoras de máquinas e equipamentos, que podem ver uma alta demanda a partir de novos empreendimentos ou até de iniciativas governamentais. É o caso, por exemplo, do Novo Marco de Saneamento, que deve gerar alta demanda por maquinário em determinadas regiões do país ao longo dos próximos anos.  

Dentro disso, a flexibilidade contratual é importante. Para tal, logicamente, é necessário ter uma gestão de contratos estratégica, na qual todas as normativas legais sejam consideradas e, ao mesmo tempo, em que os objetivos do negócio sejam protegidos.

→ Leia também: Controle de contratos em locadoras de frotas: 4 cuidados que devem ser tomados!

A gestão tecnológica facilita tudo

Dentro dessas problemáticas, a inteligência empresarial deve ser adaptada a novos formatos, pois a dinamicidade da administração requer ações rápidas e eficientes. 

É dentro disso que o bom uso da tecnologia pode facilitar tudo. É preciso, por exemplo, reduzir a papelada, digitalizar os processos e automatizar o máximo possível

Na era dos serviços “sob demanda”, os clientes não têm mais paciência para ficar em filas, preencher formulários. Eles não suportam mais a burocracia com a mesma paciência que tinham há cinco anos. 

A redução nos tempos de espera e os serviços de aluguel quase instantâneos são as principais mudanças trazidas pela digitalização. 

Isso significa que os provedores de serviços de aluguel devem verificar dispor de soluções integradas de gestão. Dessa forma, automatizam processos como atendimento, contratos, manutenção etc. 

E a boa notícia é que um sistema de gestão para locadoras está cada vez mais barato e fácil de implementar. → Você já conhece o LOC1? Confira:

Outro ponto importante é a mobilidade. Com a introdução de tecnologias digitais, as empresas de locação obtêm sucesso na redução de despesas e também na simplificação dos fluxos de trabalho.

Simplificar os processos, aliás, é fundamental. Uma maneira de fazer isso é dando à equipe mais mobilidade. Ou seja, retirando as restrições que fazem das quatro paredes do escritório a única maneira de acessar os sistemas e trabalhar.

Ao fornecer tecnologia digital para que os funcionários possam trabalhar em campo ou em casa, as locadoras também conseguem elevar a produtividade. E isso, com toda certeza, se transforma em maiores margens de lucro.